Arte

As duas faces de Nathalie Edenburg

Metade modelo, metade artista. Confira nosso papo com a paulistana.

Dizem que a moda e arte andam de mãos dadas. Estilistas vivem buscando inspirações em movimentos arttísticos para suas coleções, e tanto as tendências de moda quanto as obras de arte são formas muito ricas de compreender uma cultura em determinado momento da história – não à toa, o vestido inspirado em Mondrian, criado por Yves Saint Laurent em 1965, é até hoje um dos mais icônicos dos nossos tempos. Mas não é sempre que os dois universos se misturam tanto quanto na agenda de Nathalie Edenburg. Modelo com campanhas importantes no currículo, a paulistana é também artista plástica – ou "artista de alma", como a própria prefere definir. 

Na 41ª edição do São Paulo Fashion Week, em 2016, a top trocou as passarelas pelo paredão da Bienal do Ibirapuera. Lá, estava exposta a série 'How Do I Feel Today', com 365 intervenções artísticas (uma para cada dia do ano) que fez em sua foto clicada por Rogério Mesquita. 

Boa de papo e cheia de referências, Nathalie nos contou um pouco mais sobre os dois lados de sua vida. Acompanhe a seguir:

Como surgiu sua relação com a arte? 

A minha relação com a arte vem desde pequena, mas comecei a me desenvolver mais, criativamente falando, por meio da fotografia, quando comecei a me interessar por câmeras analógicas. Depois de me aventurar na fotografia, comecei a experimentar a pintura. Até que num belo dia resolvi comprar umas aquarelas, delas fui para o óleo e nunca mais parei.

 

Quando você decidiu seguir a carreira de artista plástica?

Foi de uma forma muito natural. Nunca me vi como artista plástica, mas sim como uma artista de alma, e acredito que todos no fundo somos artistas de alma. Precisamos apenas encontrar o nosso canal de expressão e ter coragem.

9.JPG
Making-of da campanha de verão 2018 da TVZ, com fotos de Tavinho Costa, styling de Dudu Bertholini e beleza de Daniel Hernandez.

A arte tem influenciado seus trabalhos como modelo de alguma forma? 

Com certeza, eu enxergo a profissão modelo como uma outra forma de manifestação da arte. Nós criamos imagem, trazemos um personagem para cada foto. E ter uma noção maior de arte é importante para entender e trazer a harmonia na composição da imagem de uma campanha ou editorial.

 

O que e quem te inspira na hora de pintar? 

Estou sempre buscando inspirações nos lugares que vou, anoto o que gosto e o que sinto. Procuro as exposições que estão rolando na cidade em que estou e tenho lido muito sobre arte. Os grandes mestres da Arte Moderna são as maiores referências para mim (Picasso, Matisse, Munch, Klimt) mas também não posso negar minha paixão pela arte clássica Renascentista. Quando pinto, gosto de ouvir música clássica.

 

Quais mulheres artistas você admira?

Frida Kahlo, Tarsila do Amaral, Marina Abramović, Lygia Pape, Yayoi Kusama e Adriana Varejão.

8.jpeg
Making-of da campanha de verão 2018 da TVZ, com fotos de Tavinho Costa, styling de Dudu Bertholini e beleza de Daniel Hernandez.

Qual é sua obra favorita até agora?

A série 'How Do I Feel Today', porque foi a mais completa que ja fiz. Além de ter causado um impacto visual legal, abordou um tema interessante, que mostra que nós somos diferentes a cada dia. O mais legal também foi notar uma nítida evolução da minha pintura ao longo da prática diária por 365 dias.

 

Pode indicar perfis do Instagram bacanas para quem também adora arte?

@watts, @paintguide, @durmoosh, @aureta, @artobserved, @friezeartfair e @avant.arte. Boas fontes de inspiração!

365-nathaie-edenburg-gabriel-cappelletti-3.jpg
Série 'How Do I Feel Today', exposta no SPFW N41. (Foto: Agência Fotosite)

Atualmente, as obras de Nathalie não estão expostas, mas um site com todos os seus trabalhos já está em construção. Por enquanto, você pode acompanhar a top e suas artes no Instagram: @natyedenburg.

posts relacionados

posts recomendados