Beleza

Cabelo: liberdade ou prisão?

Cinco respostas sobre queda de cabelo que você não pode deixar de ler
Reading time 4 minutes
(Foto: Pexels)

A aparência dos cabelos tem importante papel na identidade visual e na autopercepção de homens e mulheres, e é um indicador poderoso de vitalidade e boa saúde. O cabelo é signicativo em vários níveis: psicológico, físico, social, religioso e espiritual. O aumento da queda de fios de cabelos, ou a redução da quantidade de fios que cobrem o couro cabeludo e sobrancelhas é frequente motivo de idas ao consultório dermatológico. As causas dos distúrbios capilares são muitas e variadas. Podem ser de causas inflamatórias, genéticas, ambiental ou hormonal.

O campo da medicina capilar (Tricologia) conta cada vez com mais opções e abordagens para doenças capilares, e para melhora do aspecto estético e embelezamento capilar. Para saber mais sobre esse assunto que aflige tantos homens e mulheres entrevistamos a dermatologista, especialista na área, Dr. Soraia Bainy (@drasoraiabainy). Veja o que ela nos conta:

Quando devemos nos preocupar com a queda dos cabelos?

Os pacientes normalmente se preocupam e se motivam a buscar tratamento quando seu padrão de crescimento capilar (ou de cobertura capilar) passa a ser diferente em comparação ao seu próprio padrão capilar anterior, ou comparado ao padrão capilar do seu grupo cultural.

Queda de cabelos com duração superior a 3 meses, ou quedas de duração mais curta, porém muito intensas, com percepção aumentada de cabelos nas roupas de cama, ou caídos pela casa, percepção de falhas no couro cabeludo, ou redução da quantidade da cobertura do couro cabeludo são sinais que indicam a necessidade de uma consulta dermatológica.

 

Quais as primeiras providências quando identificamos uma queda mais intensa?

A primeira providência é buscar um diagóstico correto. O diagnóstico correto é fundamental, porém nem sempre é fácil de ser conseguido. Para nortear qualquer tipo de ação, planejamento e expectativas nas alterações capilares, é importante unir a história individual do paciente, exame do cabelo e do couro cabeludo (tricoscopia), e frequentemente testes laboratoriais e biópsia, conforme avaliação dermatológica.

A percepção do dermatologista é determinada por medida objetivas de densidade de folículos pilosos e pela espessura média da haste capilar normal.

 

Quais as novidades para frear a queda dos cabelos?

Existem várias! Recente liberação da Anvisa para uso de medicamentos orais, bem como procedimentos injetáveis e a laser.

Quais as soluções depois que ocorreu a queda?

As soluções variam de acordo com o motivo responsável pela perda dos fios. Por isso o diagnóstico correto se faz tão importante. Os tratamentos variam desde o uso de produtos e/ou medicamentos de uso domiciliar (via tópica e/ou oral), procedimentos realizados no consultório (mesoterapia, microagulhamento, laser de baixa potência…), até transplante ou prótese capilar.

É importante salientar que todas as formas de tratamento produzem melhor efeito quando iniciadas precocemente, e que a associação de tratamentos costuma apresentar melhores resultados que somente um tipo de terapia.

 

O que o futuro já aponta sobre isso?

A Dermatologia tem evoluído muito na área capilar, tanto que hoje temos a Tricologia como especialização dentro da Dermato, muitas pesquisas com novas técnicas e novos medicamentos. É difícil opinar sobre ciência e futuro, mas eu ‘apostaria’ na Técnica de PRP (Plasma rico em plaquetas), tratamento difundido em alguns países com bom nível de eficácia em muitos estudos científicos, mas ainda não aprovado pela Anvisa para uso médico no Brasil; e na Medicina Regenerativa e utilização de células tronco para tratamento e otimização dos transplantes capilares.

 

Tags

cabelo

posts relacionados

posts recomendados