Beleza

Modelo transgênero é demitida da L'Oreal após expor casos de racismo

por Russia
06.09.2017
Munroe Bergdorf foi desligada da da marca depois de se posicionar em rede social contra os ataques em Charlottesville.

Menos de dez dias foram o suficiente para a modelo, DJ e ativista trans Munroe Bergdorf mudar completamente de vida. Em um primeiro momento, ela faria parte da campanha "True Match", da L'Oreal Paris, que está lançando no mercado diferentes tons de base.

Depois dos ataques racistas em Charlotesville, nos Estados Unidos, a britânica se posicionou no Facebook sobre o racismo sistêmico e foi rechaçada nas redes sociais. "Honestamente, não tenho mais a energia de falar sobre violência racial com pessoas brancas mais. Sim, todas os brancos", ela escreveu no post deletado. A marca de beleza publicou logo em seguida: "L'Oreal apoia a diversidade. Os comentários de Munroe Berdorf não se alinham com nossos valores então decidimos terminar nossa parceria com ela".

Depois do pronunciamento da empresa, a ativista decidiu propor um boicote à marca e explicou em post. "A ironia disso tudo é que a L'Oreal me convidou para participar de uma campanha que busca diversidade. O fato é que até muito recentemente, não exisitam marcas grandes de beleza que ofereciam produtos para mulheres negras e outras minorias étnicas. Se a marca quer realmente oferecer empoderamento para essas mulheres mal representadas, precisamos entender a razão porque as coisas são assim. A razão é discriminação – uma ação que vem do privilégio social."

Procurada por todos os maiores jornais do mundo, Bergdorf está determinada a mudar como a indústria entende racismo e a criticar a supremacia branca nos meios de comunicação. Acompanhe o trabalho da ativista por suas redes sociais.

compartilhar

posts relacionados

posts recomendados