Beleza

Nova York proíbe oficialmente discriminação contra cabelos naturais

Esta é uma decisão história
Reading time 2 minutes
Foto: reprodução/instagram @naomi

Em 3 de julho, a Califórnia se tornou o primeiro estado a aprovar uma legislação que proíbe a discriminação baseada em penteados naturais. Agora, Nova York seguiu, com a assinatura da Assembléia Bill 07797 do governador Andrew Cuomo, que "proíbe a discriminação racial baseada em cabelo natural ou penteados", em lei. Este é um grande passo em frente, considerando as estatísticas: as mulheres negras são 50% mais propensas a serem mandadas para casa ou conhecem uma mulher negra demitida por causa de seu cabelo.

Esta nova lei assinada em 12 de julho solidifica as novas diretrizes introduzidas pela Comissão de Direitos Humanos de Nova York em fevereiro, que pedia a proteção do direito dos cidadãos de usar "cabelos naturais, penteados tratados ou não tratados, como tranças, nós Bantu, Afros e / ou o direito de manter o cabelo em um estado sem corte ou sem aparar. ”

 

O projeto é uma emenda à Lei de Direitos Humanos e Lei de Dignidade para Todos os Estudantes do Estado de Nova York, que afirma que a discriminação racial se estende a características historicamente associadas à etnia. Temaine Wright, membro da Assembléia de Nova York, uma mulher negra que usa seu cabelo natural há 17 anos, diz em um comunicado que estava “determinada que uma solução legislativa estava em ordem” e queria ver o ato da CROWN realizado em seu estado. "Estou muito orgulhosa de ter feito isso e de que Nova York seja o primeiro estado a ter essa lei histórica aprovada em ambas as câmaras", disse ela.

 

 

 

 

 

posts relacionados

posts recomendados