Fashion Week

Orfanato onde Gabrielle cresceu é tema da nova coleção da Chanel

Para o desfile Haute Couture Primavera-Verão 2020, Virginie Viard relata um capítulo tão sensível quanto essencial desde a infância de Gabrielle Chanel
Reading time 2 minutes
Foto: Divulgação

O Grand Palais se transformou em um jardim para o desfile de alta costura Primavera-Verão 2020 da Chanel. O motivo? Para nos transportar para um dos lugares-chave da infância de Gabrielle Chanel. Após a morte de sua mãe, em 1895, ela e suas irmãs foram enviadas pelo pai ao orfanato da antiga abadia cisterciense de Aubazine, em Corrèze, para viver ao lado dos outros pequenos alunos de internato.

Foi nesse lugar atemporal escondido do mundo que a jovem Gabrielle foi marcada pela vida por imagens, um rigor, uma pureza, toda uma estética que nunca a abandonaria, impondo-se como uma de suas principais fontes de inspiração.

Tudo naquela abadia parece ter fascinado e moldado a imaginação da garota que um dia se tornaria mademoiselle: da calçada do corredor no prédio do convento, feita de paralelepípedos que formavam mosaicos com os brasões da abadia lua, sol e estrelas nos vitrais cujos motivos abstratos poderiam ter inspirado o entrelaçamento de seu próprio monograma. Todas as chaves de um estilo já estavam lá, marcando a mente poética de uma criança com seu mistério.

Quando Mademoiselle Chanel construiu La Pausa, sua casa no sul da França, ela pediu ao arquiteto para replicar identicamente o corrimão da grande escadaria de pedra em Aubazine, que ela descia diariamente, quando criança, a caminho da abadia. Veja a coleção da alta-costura da marca aqui abaixo:

/

Tags

posts relacionados

posts recomendados