Pop culture

Alice Ferraz comandará pós-graduação na Polimoda

A empresária também faz parte da lista das 500 pessoas mais influentes do mundo pelo Business of Fashion
Reading time 8 minutes
Foto: Divulgação

Há quase 10 anos, quando o termo influenciadora digital ainda não existia, Alice Ferraz sentia a inquietude e o inconformismo típicos de quem vive e respira inovação. O fato de ter uma carreira sólida na moda e uma empresa respeitada pelo PR criativo e pela criação de campanhas já não era suficiente para sustentar a nova comunicação que estava por vir.

Com um olho no futuro e outro no calor do varejo, Alice focou na curadoria das melhores influenciadoras e criou uma metodologia proprietária para que a comunicação das marcas mudasse definitivamente de rumo. Assim nasceu a Fhits, a primeira multiplataforma de influenciadoras do mundo, que se transformou numa Digital Media Company, onde Alice mentora 200 publishers rigorosamente escolhidas, que juntas somam uma audiência de 40 milhões no Instagram.

Hoje, depois de 9 anos de trabalho árduo, Alice foi anunciada como uma das 20 mulheres mais poderosas do Brasil, segundo a revista Forbes e também classificada pela Business of Fashion uma das 500 pessoas mais influentes do mundo da moda, além de ter escrito o best seller Moda a Brasileira, já na terceira edição. Mas Alice não para por aí.

Depois de criar a primeira graduação de Mídias Sociais Digitais pelo Centro Universitário Belas Artes, em São Paulo,  foi convidada para exportar sua metodologia. A partir de Junho, a visão de Alice vai dialogar com o epicentro da moda mundial. Ela foi convidada pelo instituto italiano de moda Polimoda para ser mentora da Pós-Graduação do curso de Fashion Marketing and Communications. “Parcerias desse tipo agregam um valor inigualável para nossos alunos, que têm a oportunidade única de aprender diretamente com os protagonistas do sistema de moda atual", disse o diretor da Polimoda, Danilo Venturi, em um comunicado. Alice Ferraz será figura-chave na orientação de nossos alunos para se tornarem profissionais de nível superior para o futuro da comunicação.”

1556664306744646 52663272 450438205702448 546361876089064967 n
Foto: Divulgação

L’OFFICIEL

Como aconteceu o convite da Polimoda? 

ALICE

O Brasil não tem um heritage na moda como a Europa, mas desenvolveu uma forma particular de se relacionar com o digital, com a moda e com as pessoas. Eu entendi isso quando criei o Fhits e desde então venho estudando a cada dia como melhorar minha própria metodologia. Isso chamou a atenção deles, que tem uma relação profunda com todo o mercado e busca os melhores profissionais de cada área para seus cursos. Inicialmente fui dar uma palestra, em Janeiro, e depois dela veio o convite para mentorar esse curso de 9 meses.

Eu estou sempre olhando para frente, pensando no meu próximo passo, procurando maneiras de melhorar. Hoje eu vejo inclusive que estamos entrando num momento híbrido onde os blogs influenciam o jornalismo e vice-versa. É um momento único na comunicação e fico feliz em poder me aprofundar e compartilhar isso cada vez mais.

 

L’OFFICIEL

Num momento onde temos um número infinito de influenciadoras, o que diferencia as influenciadoras Fhits das demais e como você maestra essa nova orquestra da comunicação?

ALICE

Muita coisa mudou nesses anos mas sempre me faço as mesmas perguntas: Como é a reputação dessa pessoa? Como essa pessoa se dirige ao seu público? Como usa suas mídias sociais? Qual é a sua história? Entre milhões de criadores de conteúdo que compartilham o espaço digital e as marcas estão os consumidores, bem no meio dessa conversa e nosso foco está nisso: criar as melhores estratégias para transferir experiências em tempo real, aproximando as pessoas e humanizando as marcas.

A era das marcas falando de si mesmas, acabou. Hoje em dia, quando as marcas criam um anúncio para falar sobre si ou sobre seus produtos, isso representa apenas 10% do que eles precisam fazer.

 

L’OFFICIEL

Depois desses anos à frente do Fhits, ainda é difícil trabalhar com influência digital?

ALICE

O início foi extremamente difícil mas pouco a pouco, caso a caso, construímos uma trajetória e o mercado finalmente entendeu o que fazemos, com resultados efetivos em termos de crescimento de vendas ou imagem da marca. Agora chegamos a um ponto em que as marcas entendem a importância do marketing de influência, mas ainda precisam entender que existe um jeito certo e único para cada marca. Ou seja, não é mais sobre usar as mídias sociais digitais mas sim COMO usar.

 

L’OFFICIEL

De uma aula à mentoria da Pós-Graduação, como evoluiu sua relação com a Polimoda?

ALICE

Foi orgânico. O diretor de Polimoda, Danilo Venturi, ligou para o F*hits e perguntou se ele poderia ter uma reunião comigo. Essa reunião levou um ano para acontecer. Mas ele veio para o Brasil e foi incrível! Ele é um homem à frente do seu tempo, fiquei muito impressionada. Após a reunião, ele me convidou para dar uma masterclass na Polimoda e acabei passando três dias inteiros lá. Tive a chance de ser a primeira brasileira a dar uma aula no programa “Randez-Vous” e compartilhar nosso conteúdo com alunos e pensadores vindos de mais de 70 países. Aqueles foram dias fantásticos, fiquei tão impressionada com a qualidade dos professores, instalações e alunos. As perguntas e discussões que seguiram à minha palestra foram tão interessantes de assistir, voltei para casa muito inspirada. O convite para orientar a Pós-Graduação do curso de Fashion Marketing and Communications surgiu pouco depois de eu voltar ao Brasil e imediatamente disse que sim. Vou ter que ir à Itália muitas vezes, mas estou animada! Durante o QG F*hits tive a alegria de receber Gabriele Moschin, Head of Education, Fashion Business & Art Direction da Polimoda. Foi maravilhoso compartilhar com ele o que temos de mais precioso por aqui: mentes criativas e cheias de amor pelo que fazem. Eu realmente acredito que juntos vamos desenvolver algo especial.

 

L’OFFICIEL

Como será seu envolvimento com o curso?

ALICE

Primeiro, falarei com os professores sobre as mídias sociais, tanto do ponto de vista da marca quanto do influenciador, bem como sobre as mudanças sociais que nos levaram ao ponto em que estamos agora. Faremos uma imersão na mídia social com eles, porque o Brasil está à frente de outros países quando se trata de marketing de influência. Eu também vou ministrar de 4 a 5 aulas presenciais durante os 9meses.Esse foi um pedido da Polimoda, mas também um desejo meu, já que quero estar entre as gerações mais novas, porque é assim que consigo entender a vida das pessoas que nasceram neste mundo digital e para quem tudo isso é absolutamente natural. Dentro da agenda há uma série de master classes, workshops e visitas à Pitti Uomo e semana de moda milanesa. Acredito muito nesta conexão entre a teoria e a realidade do trabalho. É um momento importante para os alunos refletirem sobre o convencional ou não convencional, o on e o offline, o aprendizado final de como usar imagens, números ou palavras para transmitir mensagens claras e eficazes para uma variedade de públicos.

 

L’OFFICIEL

O que você mais espera desse seu próximo passo?

ALICE

A troca. Acho que estamos diante de uma verdadeira experiência para nós e para eles, onde eu vou poder colaborar com o curso compartilhando o meu melhor, mas estou ávida pelas perguntas em sala, pois certamente as dúvidas dos alunos me farão crescer e evoluir cada vez mais.

posts relacionados

posts recomendados