Entre as espécies raras de Darwin
Viagem

Entre as espécies raras de Darwin

Apresentamos uma seleção de refúgios com naturezas selvagens, culturas autênticas e experiências únicas para curtir a léguas de distância das hordas de turistas e dos destinos de sempre. Na matéria de hoje: Galápagos.
Reading time 3 minutes

Tartarugas gigantes, iguanas marinhas e pássaros cujos bicos e patas se diferenciam conforme  o alimento e o ambiente encontrados nas ilhas que habitam. Os mesmos animais que levaram o jovem naturalista britânico Charles Darwin a desenvolver  a sua teoria sobre a evolução das espécies ainda hoje deixam de boca aberta quem pode pagar para repetir parte da rota que ele fez pelo Pacífico, nos anos 1840. O palco do maior espetáculo para safáris marinhos  da Terra é o arquipélago de Galápagos, no Equador – 
 esse minúsculo país latino pelo qual o turismo de massa não dá nada, mas que tem muito a mostrar. Melhor assim. Com número restrito de visitantes  e de barcos que podem se aproximar dos refúgios  de leões-marinhos, pinguins e até tubarões, Galápagos conseguiu preservar vários de seus animais de origem quase pré-histórica. De tão à vontade e fartos de alimentos, eles não temem a aproximação humana (o que facilita a vida dos fotógrafos, mas oferece algum risco aos próprios bichos). Como se não bastasse, habitam praias de areia branca, águas  azuis e ilhas com lagos, vulcões dormentes e cenários que misturam desertos com cactos floridos. Dá para observar a bicharada a partir de passeios de bate-e-volta em barcos que partem das ilhas maiores – Santa Cruz, San Cristóbal,- Isabela  e Floreana. Para chegar aos picos mais bonitos  e distantes, porém, embarque num cruzeiro de várias noites, um jeito exclusivo de aliar história, exploração e natureza em estado bruto.


 • ONDE FICAR: Há cruzeiros marítimos que duram de três a 14 noites, mas os de sete são os mais bacanas. Partindo de Santa Cruz ou San Cristóbal, o intimista barco Grace, da Quasar Expeditions (quasarex.com), para apenas 18 passageiros., é hit.

• COMO CHEGAR: Não há voos do Brasil para Galápagos. É preciso seguir ao Equador via Lima  ou Bogotá. De Quito voa-se por três horas até  as ilhas de Santa Cruz ou San Cristóbal. A partir  de Guayaquil, o trajeto leva duas horas.

• TOME NOTA: A economia do Equador é dolarizada. Galápagos é o destino mais caro do país. Prepare o bolso. E prefira ir entre janeiro e maio, sem chuvas. Se for passar o Natal ou Ano Novo, não perca  as procissões do Paso del Niño, onde as pessoas  se fantasiam até de Chaves e de Homem-Aranha atrás do Menino Jesus

/

posts relacionados

posts recomendados