Viagem

Safári para ver bichos e desertos

Apresentamos uma seleção de refúgios com naturezas selvagens, culturas autênticas e experiências únicas para curtir a léguas de distância das hordas de turistas e dos destinos de sempre. Na matéria de hoje: Namíbia
Reading time 2 minutes

Objeto de desejo de fotógrafos do mundo todo, a Namíbia tem os animais selvagens, as tribos de costumes tradicionais e os cenários de luz sublime que habitam o imaginário de quem sonha explorar a África. Com uma vantagem: essa ex-colônia alemã não possui uma fração dos jipes e turistas de roupas e chapéus cáqui que lotam os parques de outros países africanos famosos por safáris, como a África do Sul, o Quênia e a Tanzânia. Para ter leões, girafas e rinocerontes para chamar de seus, inclua o Parque de Etosha, no norte do país e sem muvuca, em seu roteiro. Os maiores diferenciais de uma exploração  da Namíbia, no entanto, são outros... Partem da capital Windhoek as esticadas para visitas a templos de beleza, como as dunas de Sossusvlei, no sul, onde troncos secos retorcidos despontam entre dunas impecáveis.  
Viajar de jipe pelo país, com ou sem um motorista local, é relativamente fácil e pode levar a outras preciosidades da geografia africana. É o caso do Twyfelfontein, Patrimônio da Humanidade, com inscrições rupestres da Idade da Pedra, no centro do país, em Damaraland. Quem dirige ao litoral surpreende-se com a Costa do Esqueleto, onde carcaças de navios naufragados nas águas revoltas daquele trecho do Atlântico repousam nas areias à beira-mar. Tudo pertinho de ilhas habitadas por pinguins e focas, e das savanas que ladeiam a praia. Cada cena parece sempre pronta a ser enquadrada nas câmeras dos amantes da natureza inóspita.


• COMO CHEGAR: Ainda que esteja logo ali do outro lado do Atlântico, não há voos diretos para a capital Windhoek. A rota mais prática é via Johannesburgo, na África do Sul.

• ONDE FICAR: Os lodges da rede Wilderness Safaris (wilderness-safaris.com), vendidos no Brasil pela Terramundi (terramundi.com.br), estão espalhados por lugares emblemáticos como Etosha, Sossusvlei e Damaraland – e com mimos como as camas que podem ser dispostas fora do quarto,  sob as estrelas.

• TOME NOTA: A história é triste, mas merece ser conhecida nos museus da capital Windhoek. Antes de Hitler tocar o terror na Europa, a Namíbia foi palco do primeiro genocídio de que se tem notícia no planeta, com etnias praticamente extintas pelos colonizadores alemães entre 1904 e 1908. 

/

posts relacionados

posts recomendados