Viagem

Última fronteira

por Natália Guadagnucci
18.01.2017
Remota e mística, a Ilha de Páscoa guarda mistérios milenares e vistas de tirar o fôlego. A estilista Patrícia Viera dá o caminho das pedras.

Tão remota quanto mística, a Ilha de Páscoa é tida como o solo mais distante de qualquer lugar povoado do planeta. Descoberta no domingo de Páscoa de 1722 – daí o nome –fica a 3.500 km da costa do Chile, mas possui raízes essencialmente polinésias, e é a última fronteira da América do Sul. Seu símbolo maior, os Moais – estátuas com uma média de 4 metros de altura, formadas por pedra vulcânica, cuja origem e significado permanecem desconhecidos –, estão espalhados por todo o perímetro da ilha. São o último legado de um povo cuja escrita e cultura praticamente desapareceram.

A seguir, a estilista Patricia Viera, que foi conhecer a terra misteriosa a convite do Shopping Cidade Jardim, de São Paulo, dá as dicas.

Hospedagem

Fiquei no Explora Rapa Nui, que é incrível. Lá, o legal é que você não precisa se preocupar com nada. Por ser all inclusive, minha alimentação foi 100% dentro do hotel, tudo orgânico – e delicioso, diga-se de passagem! Toda manhã, logo após o café, batia um papo com o guia, que sugeria os passeios. Normalmente, saía no começo do dia e voltava para o almoço, com um cardápio que oferecia três opções de menu completos, com ótimos vinhos e sucos feitos na hora – tudo impecável.

À tarde, podia optar por outro passeio ou aproveitar para explorar as dependências do hotel. Em um dos dias, acabei decidindo fazer a refeição na beira do mar, e só voltei para o hotel à noite. Foi impressionante ver a equipe do hotel literalmente levar toda uma cozinha para a praia, com churrasco, mariscos e saladas deliciosas.

DSC7994.jpg
O quarto do hotel Explora

O que levar

Roupas esportivas, de trekking. Mas não se preocupe se esquecer algo, pois o Explora tem uma loja da Patagônia dentro do hotel, com tudo o que você pode vir a precisar.

Cultura local

A ilha de Páscoa, polinésia, tem muito essa alma da dança, uma cultura de receber o visitante muito bem, com um colar de flores de boas-vindas e um de conchas na despedida, para desejar que você volte em breve. Ele representa bem a hospitalidade do povo Rapa Nui [como a Ilha de Páscoa é chamada na língua nativa].

Como chegar

Fui via Santiago, no Chile, com a companhia aérea LATAM. Dormi uma noite por lá, porque é um voo cansativo, e só existe um por dia para a ilha.

DSC_2327-copia.jpg
Estátua de pedra da Ilha de Páscoa e, ao lado, vista panorâmica do local, que fica a 3.500 km da costa do Chile

Top 3 passeios imperdíveis

1. MahatuaOvahe–Os Quinze Moai: plataforma com as estátuas de pedra gigantes e uma vista linda do mar!

2. Rano Kau: a visita ao vulcão é sensacional. Dá para chegar lá por meio de um trekking avançado de
10 km, que leva em torno de 3 horas a pé, ou pela van que o hotel fornece. Com uma cratera bem definida e um lago de 200 metros de profundidade, possui um mirante de tirar o fôlego. É realmente lindo!

3. Ara O Te Moai – Fábrica de Moai: um lugar muito mágico, é o caminho ancestral por onde os Rapa Nui transportavam os Moai. Os guias são incríveis, entendem e explicam sobre tudo! 

DSC01244.jpg
Andrea Viera, Patrícia Viera e Felipe Veloso durante a viagem

compartilhar

posts relacionados

posts recomendados