Beleza

As 4 principais queixas estéticas influenciadas pela pandemia

Muitas dessas alterações surgem por predisposição genética e o estresse pode ter sido o principal gatilho para o agravamento de diversos problemas dermatológicos
Reading time 5 minutes
(Foto: Pexels)

É um fato irrefutável: o ano de 2020 trouxe uma mudança brusca em nossas rotinas e agora estamos vendo a consequência disso - literalmente - na pele. Seja por conta do estresse, mudança alimentar ou até mesmo alterações na rotina de skincare, os consultórios de dermatologia estão reportando um grande aumento de queixas em diversos âmbitos. Entenda o motivo para o agravamento de certos casos e confira como tratá-los.

Queda de cabelo

Uma das grandes queixas estéticas agora em que a quarentena está mais branda é a queda capilar. A influência mais comum para esse tipo de questão é a genética, entretanto, o estresse e alimentação podem desempenhar um grande papel com relação a esse problema. 

 

“O estresse aumenta a liberação de cortisol que encurta a fase de crescimento capilar e promove a queda dos fios, processo conhecido como eflúvio telógeno. Pela maior liberação de adrenalina, há a vasoconstrição nas raízes dos cabelos com menor aporte de sangue e nutrientes ao fio, impactando na fase de crescimento” conta a Dra. Kédima Nassif, dermatologista e tricologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

 

Para tratar, é fundamental visitar um especialista. “No caso dos eflúvios telógenos, corrigida a causa precipitante, o processo se torna reversível e é autolimitado”.

1597931741843490 pexels tim mossholder 1049687
(Foto: Pexels)

Rugas

O aparecimento de rugas também tem sido um grande motivo para queixas e o estresse tem relação direta também com o envelhecimento da pele. Ainda que essa possa ser uma questão básica do envelhecimento, a depender de onde as rugas estão localizadas isso pode mudar até a expressão do rosto, dando a impressão de que o paciente está sempre zangado ou chateado.

 

“Vincos na boca e na testa podem fazer com que as pessoas pareçam estar franzindo a testa em uma expressão de que estão chateadas”, afirma o cirurgião plástico Dr. Mário Farinazzo, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

 

 “Felizmente, existem muitos tratamentos que podem ajudar a tratar rugas no rosto e pescoço. Embora os de lifting facial sejam os mais conhecidos e definitivos, outros podem optar pelos injetáveis para paralização muscular (toxina botulínica), preenchimento (ácido hialurônico) e estímulo de colágeno (bioestimuladores), que também trazem bons resultados”, afirma o cirurgião plástico.

1597931804765103 pexels cottonbro 4056467
(Foto: Pexels)

Flacidez das sobrancelhas, da face e do pescoço

A flacidez se tornou um assunto constante em consultórios e, o motivo disso pode ser porque de acordo com o cirurgião plástico Dr. Paolo Rubez a flacidez das sobrancelhas pode causar um aspecto frequente de "olhos cansados".

 

A posição das sobrancelhas mais caídas, por exemplo, dá um aspecto cansado e pode ser tratada com a cirurgia de elevação dos supercílios ou a aplicação de toxina botulínica para elevações menores ou fios de sustentação. Para o excesso de pele nas pálpebras o tratamento é cirúrgico através da blefaroplastia”, diz o Dr. Paolo

 

No caso da flacidez da face e do pescoço, além do ultrassom microfocado, uma novidade é o Surgical Derm, outra nova ponteira da plataforma Solon, que promove a entrada de um plasma de baixa temperatura na derme. O tratamento é tão poderoso que uma sessão do plasma equivale a quatro sessões de Co2, laser utilizado tratar rugas e flacidez. 

1597931820230703 pexels andrea piacquadio 3764013
(Foto: Pexels)

Manchas

Existem variantes genéticas que tornam sua pele mais suscetível aos danos dos raios solares (que ultrapassam os vidros, então tome cuidado). “Essas variantes podem significar uma menor resistência da pele frente a essas agressões e também um processo inflamatório mais intenso, que ajuda na formação das manchas” conta  Dr. Marcelo Sady, Pós-Doutor em Genética e diretor geral da Multigene, laboratório especializado em análise genética e exames de genotipagem.

 

Isso explica o porque muita gente que ficou dentro de casa e abdicou do uso do fotoprotetor agora está sofrendo com manchas grandes e melasma. “Para as manchas podemos tratar com cremes clareadores em casa, peelings ou lasers ou ainda luz pulsada. Tudo vai depender do tipo da mancha. Para todas é essencial o uso de filtro solar diariamente, mesmo dentro de casa. Aliás o filtro previne as manchas, ajuda a tratá-las e evita que elas retornem após o tratamento”, afirma a Dr. Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

1597931920318236 pexels polina tankilevitch 3738348
(Foto: Pexels)

Tags

cabelo
skincare

posts relacionados

posts recomendados