Beleza

Descubra 7 fatos incríveis sobre a pele que você não sabia

Time de especialistas explica as principais características e necessidades do tecido cutâneo para que você potencialize sua rotina diária de cuidados com a pele
Reading time 10 minutes
Foto: divulgação/Milan Zrnic

A pele é o maior órgão do corpo humano e a primeira linha de defesa contra agressores externos. Dessa forma, o tecido cutâneo necessita de cuidados constantes. Não é à toa então que existem milhares de pessoas ao redor do mundo que são aficionadas por skincare.

Ainda assim, a pele possui uma série de características e necessidades próprias que poucas pessoas conhecem, mas que podem ajudar a melhorar ainda mais a maneira como cuidamos do tecido cutâneo. Quer saber quais são essas características para conhecer melhor sua pele e potencializar sua rotina de cuidados? Reunimos um time de especialistas para listar os principais fatos sobre a pele. Confira:

 

 

Sua pele esconde um grande segredo  

Podemos olhar diariamente no espelho e notarmos a pele bonita, jovem e saudável. Porém, com o passar do tempo, começamos a observar o surgimento de rugas, linhas de expressão, manchas e flacidez. Muitas vezes, tais sinais da idade são apenas consequência do processo natural do envelhecimento. No entanto, também podem ser causados por algo que estava sendo escondido pela pele já faz algum tempo: os danos cumulativos causados pela exposição solar desprotegida, que é responsável por cerca de 80 a 90% do envelhecimento da pele.

“A exposição solar sem fotoproteção causa danos que vão sendo acumulados com o passar dos anos, gerando assim mudanças no DNA que provocam reações de mutação celular, com consequente envelhecimento precoce, já que a exposição solar está ligada à inflamação, ao dano oxidativo e à produção de enzimas que degradam colágeno, resultando em uma pele mais flácida, com rugas e manchas”, afirma a Dra. Claudia Marçal.

E algumas pessoas sofrem mais com os danos causados pelo sol que outras. “Alguns indivíduos apresentam ainda maior suscetibilidade ao fotoenvelhecimento, como aqueles que apresentam uma variante do gene MMP1, que promove uma degradação do colágeno oito vezes maior que o normal após a exposição solar”, destaca o geneticista Dr. Marcelo Sady. Por esse motivo, o uso diário de um fotoprotetor solar com, no mínimo, FPS 30 é indispensável.

 

 

A pele é responsável por regular a temperatura corporal

A pele é responsável por uma função importantíssima, que é manter a temperatura do organismo equilibrada. Por esse motivo, quando realizamos esforços físicos, estamos estressados ou sentimos calor, é normal suarmos, pois é a resposta do organismo a estas situações na tentativa de regular a temperatura corporal. No entanto, é importante ficarmos atentos a quantidade de suor produzido, pois suar excessivamente em áreas concentradas mesmo quando estamos em repouso pode ser sinal de hiperidrose.

 

 

A pele é prejudicada pele clima frio

Assim como é afetada pelo calor, passando a produzir mais suor, a pele também sofre devido ao frio, já que a baixa umidade do ar e a queda da temperatura levam a uma diminuição da transpiração corporal e da oleosidade natural. “Produzindo menos oleosidade, a pele torna-se mais ressecada, descamativa, avermelhada e irritada, necessitando então de cuidados especiais. Além disso, os banhos quentes, mais frequentes no frio, retiram o manto lipídico da pele, o que compromete sua função de barreira e a hidratação”, destaca a Dra. Paola.

Por isso, quando a temperatura esfria é interessante encurtar o tempo no banho, que deve ser tomado com água morna, e hidratar a pele em seguida, pois é a etapa do skincare responsável por prevenir o ressecamento da pele. Para isso, utilize um cosmético com alta capacidade hidratante.

 

 

A pele é diretamente influenciada pela alimentação

Ao contrário do que muitos pensam, apenas os produtos tópicos não são suficientes para conquistar a pele dos sonhos. Sua dieta também desempenha um papel significativo nesse objetivo. “Uma alimentação equilibrada está entre os principais itens que ajudam a deixar a pele bonita, jovem e hidratada. São os alimentos que você consome regularmente que definem a aparência e qualidade do tecido cutâneo, não apenas em um mês, mas também em um ou dois anos”, explica a Dra. Marcella Garcez.

Por isso, é importante investir em alimentos ricos em nutrientes capazes de manter as células e tecidos da pele saudáveis. Aposte principalmente em gorduras e proteínas de boa qualidade, como peixe e frango, afaste-se das carnes processada e do açúcar, aumente o consumo de fibras, presente em grãos integrais e vegetais, e certifique-se de consumir muitas frutas como uvas, laranjas, mirtilos e morangos para neutralizar os radicais livres que influenciam o processo de envelhecimento.

 

 

A pele é constantemente renovada

Assim como todo o organismo, a pele está em constante mutação através de um processo conhecido como renovação celular, que é responsável por eliminar as células mortas, tornando o tecido mais luminoso e homogêneo. Mas, para quem quer ver tais benefícios ainda mais acentuados, é interessante apostar na esfoliação. “A esfoliação é realizada por pequenas partículas que fazem uma limpeza profunda através de uma leve abrasão na camada superficial do tecido cutâneo, que remove as impurezas e a oleosidade acumuladas, além de impulsionar a renovação celular.

Com isso, o tecido fica com uma textura mais homogênea e os poros são desobstruídos, ajudando a prevenir o surgimento de cravos e espinhas. Como se não bastasse, a esfoliação ainda potencializa a capacidade de absorção dos cosméticos pela pele, deixando-a preparada para o uso de cremes”, diz a Dra. Paola Pomerantzeff. Devendo ser realizada de uma a duas vezes por semana, dependendo de seu tipo de pele, a esfoliação deve ser feita com produtos capazes de remover as células mortas sem agredir excessivamente a pele, como o esfoliante Tribeca, da B.URB, que, através das sementes de apricot, é capaz de remover impurezas e células mortas da pele, desobstruindo os poros e ajudando na renovação celular.

 

 

A pele pode sofrer devido ao estresse

Ao contrário do que muitos pensam, o estresse não é apenas prejudicial para a mente e para o sistema imunológico, mas também para a pele. “A adrenalina e hormônios como cortisol e prolactina, que são produzidos em momentos de estresse, potencializam o estado inflamatório persistente no tecido cutâneo, o que faz com que nossas células tenham longevidade e atividade diminuídas. O resultado é a aceleração do envelhecimento biológico, com o surgimento precoce de rugas, manchas e linhas de expressão, e o desenvolvimento de doenças cutâneas como acne e rosácea”, afirma a Dra. Claudia Marçal.

Mas a boa notícia é que uma das melhores maneiras de gerenciar o estresse é realizando uma rotina diária de cuidados com a pele. “Cuidar da pele é uma ótima maneira de manter a cabeça no lugar, pois o toque ajuda a reduzir o hormônio ligado ao estresse e estimula a parte do sistema nervoso que acalma o corpo e a mente”, afirma Isabel Piatti.

 

 

A pele pode alertar sobre doenças sérias

Não é apenas o estresse que pode afetar a pele. Muitas condições de saúde também podem gerar sintomas no tecido cutâneo. Segundo a Dra. Paola Pomerantzeff, muitas alergias respiratórias, por exemplo, podem causar alterações na pele, como um processo inflamatório provocado pela ação do sistema imunológico.

“A acne em mulheres adultas também pode significar a presença de outras doenças, como a Síndrome do Ovário Policístico (SOP), uma desordem endócrina que é uma das principais causadoras da infertilidade”, completa a médica. Por esse motivo, o ideal é que, ao notar o surgimento de qualquer alteração na pele, você consulte um dermatologista, que poderá realizar uma avaliação e diagnosticar a real causa do problema antes de iniciar o tratamento.

Tags

pele
skincare

posts relacionados

posts recomendados