Hommes

Saiba como o mundo da moda está ajudando no combate ao coronavírus

As Grifes estão doando milhões e disponibilizando suas fabricas para produção de itens de proteção e álcool gel
Reading time 11 minutes

MONCLER

A marca italiana de luxo doou 10 milhões de euros, aproximadamente 55 milhões de reais, para a construção de um hospital em Milão com mais de 400 unidades de terapia intensiva. “Milão é uma cidade que nos deu um presente extraordinário. Não podemos nem devemos abandoná-la. É dever de todos devolver o que ela nos deu até agora”, disse Remo Ruffini, presidente e executivo da Moncler.

ZEGNA 

Gildo Zegna, CEO da Ermenegildo Zegna, afirmou em comunicado: “Na Zegna, acreditamos que nossas ações hoje moldarão nossa amanhã. A pandemia que estamos enfrentando é um chamado para que as pessoas ao redor do mundo tomem medidas. Cada um de nós deve fazer a sua parte, de todas as formas possíveis, para parar esta emergência global”.

A família Zegna, fará doações totalizando 3 milhões de euros, cerca de 17 milhões de reais. O Grupo também converterá parte de suas instalações de produção na Itália e na Suíça para fabricação de máscaras, suprimentos e trajes hospitalares. 

GUCCI

A grife fez duas doações milionárias! Sediada na Itália, onde a pandemia causou grandes estragos, a empresa anunciou uma doação de 1 milhão de euros, aproximadamente 5,64 milhões de reais, ao Departamento de Proteção Civil Italiana e outra doação de mais 1 milhão ao Fundo de Resposta de Solidariedade COVID-19 da Fundação das Nações Unidas em apoio à Organização Mundial da Saúde (OMS).

‘’Essa pandemia nos chama para uma tarefa inesperada, mas é uma chamada para a qual respondemos de maneira decisiva, defendendo o trabalho altruísta realizado por profissionais de saúde, médicos e enfermeiros que estão trabalhando nas linhas de frente para ajudar as pessoas afetadas. Ao nos apoiar e ao ajudar aqueles entre nós que são mais vulneráveis, seremos capazes de enfrentar e superar essa crise, ainda mais unidos do que antes”, escreveu Alessandro Michele, diretor criativo da Gucci, e Marco Bizzarri, presidente e CEO da Gucci em um carta.

PRADA 

A marca rá usar sua fábrica na Itália para produzir cerca de 80 mil macacões para profissionais da saúde e 110 mil máscaras. A empresa tomou a decisão após um pedido do governo da Toscana, região que está sendo tristemente afetada pelo novo coronavírus. 

Além disso, a Fundação Prada - que está fechada por segurança - disponibilizou para o mundo um tour digital onde é possível conhecer a historia da instituição e apreciar suas obras de arte e exposições.

ARMANI

O grupo inicialmente tinha feito uma doação de 1,25 milhões de euros para hospitais italianos, mas repensou e agora doará 2 milhões, mais de 11 milhões de reais, que vão ser destinados para as instituições de saúde que estão na luta para combater o vírus. 

A corporação, comandada pelo empresário Giorgio Armani, um dos homens mais ricos e poderosos da moda, também irá produzir em suas fabricas macacões descartáveis e máscaras. Afinal, a escassez de equipamentos de proteção é outro grande problema para o sistema de saúde italiano.

VERSACE 

A marca italiana doou 143 mil dólares para a Fundação da Cruz Vermelha da China e a própria estilista Donatella Versace e sua filha, Allegra, também fizeram doações pessoais no valor de 200 mil euros, um pouco mais de 1 milhão de reais, para o departamento de terapia intensiva do hospital San Raffaele, em Milão. 

Através de sua conta no Instagram, Donatella escreveu: "Em tempos como este, é importante estar unido e apoiar. No entanto, podemos ajudar a todos aqueles que estão na linha de frente, lutando todos os dias para salvar centenas de vidas".

RALPH LAUREN 

O designer Ralph Lauren e sua empresa doarão 10 milhões de dólares, cerca de 51 milhões de reais, para combater a doença. O empresário anunciou que a Fundação Corporativa Ralph Lauren doará o valor para causas diversas relacionadas ao novo coronavírus. Pelas redes sócias, a grife compartilhou uma mensagem inspiradora: "No espírito de união, nós crescemos".

VALENTINO 

A grife italiana anunciou que seu fundador, Valentino Garavani e a Fundação Giancarlo Giammetti, doará 1 milhão de euros, quase 6 milhões de reais, para o novo Hospital Columbus e para uma nova área dedicada aos casos de Covid-19 na Policlínica da Universidade Agostino Gemelli de Roma. 

"Em um momento tão dramático para o mundo inteiro, queríamos dar nossa contribuição para vencer esta batalha crucial contra esse inimigo invisível, mas terrível. Nossa mais profunda gratidão é dada para as mulheres e homens que lutam dia e noite para salvar vidas humanas em nossos hospitais", afirmou Valentino e Giancarlo Giammetti em comunicado.

ARREZO & CO 

Uma das maiores marcas de calçados femininos da América Latina lançou a campanha "Passos das Heroínas", que ofereceu milhares de calçados para médicas, enfermeiras e auxiliares de enfermagem. A empresa também está organizando uma produção de 25 mil máscaras de proteção para serem doadas.

NATURA & CO AMÉRICA LATINA 

O conglomerado das marcas Avon, Natura, The Body Shop e Aesop, anunciou que todos os colaboradores de suas fábricas se dedicarão a produzir apenas itens essenciais de higiene pessoal, além de álcool em gel e líquido, cruciais para frear a propagação da COVID-19.

HERING E RIACHUELO 

Para ajudar a combater o Coronavírus, as empresas mobilizaram parte de suas produções para conceberem uniformes de proteção, máscaras, toucas e jalecos. São milhares de peças que serão doadas. A escassez desses produtos já é realidade em alguns hospitais brasileiros.  

BOTICÁRIO 

O empresário Miguel Krigsner, fundador e dono da famosa perfumaria nacional, vai doar 1,7 tonelada de álcool em gel para hospitais públicos de Curitiba. O produto doado, que está ausente em todo o país, apresenta uma concentração de 78% de álcool etílico e pode eliminar cerca de 99,9% das bactérias.

Tags

posts relacionados

posts recomendados