Moda

Consumo consciente: Saiba tudo sobre a Semana Fashion Revolution 2021

Com o tema Direitos, Relacionamentos e Revolução, a campanha propõe debate para construção de soluções inovadoras e interconectadas na moda.
Reading time 6 minutes
(Foto: Reprodução /Instagram @fash_rev_brasil)

Quem fez suas roupas? Esse é o principal pilar por trás do coletivo global Fashion Revolution. Anualmente, em torno do dia 24 de abril, data que marca o desabamento do edifício Rana Plaza, o Fashion Revolution relembra mais de 100 países a necessidade de buscar formas de garantir dignidade para os trabalhadores que fazem nossas roupas, e mobilizar a sociedade por uma indústria da moda que considere as pessoas e o planeta. Neste ano, a Semana acontecerá entre os dias 19 e 25 de abril em formato digital.

Em prol de uma transformação sistêmica, o Fashion Revolution propõe em sua campanha de 2021 uma discussão sobre Direitos, Relacionamentos e Revolução. Os Direitos Humanos e os Direitos da Natureza são conectados e interdependentes, se o meio ambiente não estiver saudável, nós também não estaremos. Assim, precisamos revolucionar a forma como nos relacionamos, tanto na esfera individual, como na coletiva, considerando todas as pessoas da cadeia produtiva da moda e a natureza, para então alcançar a saúde, o bem-estar e a prosperidade para todas as pessoas e para o Planeta. Portanto, o Fashion Revolution propõe mobilizar redes para além da comunidade já existente, amplificar vozes não ouvidas ou marginalizadas, e trabalhar juntos por soluções inovadoras e interconectadas.

1618501764608115 materials
(Foto: Divulgação)
1618502610516905 polyisplastic
(Foto: Divulgação)

A campanha, que há anos incentiva o questionamento através da hashtag #QuemFezMinhasRoupas, pretende trazer as pessoas que fazem as roupas para maior protagonismo, e assim incentivar responsabilidade e transparência por parte das marcas. Este ano, foi reforçada a importância de um olhar na perspectiva de gênero e raça. O Brasil é o quarto maior produtor de roupas do mundo, gerando 8 milhões de empregos diretos e indiretos, sendo que 75% da mão de obra é composta de mulheres (ABIT). No Brasil, entre 2016 e 2018, a cada cinco trabalhadores resgatados em situação análoga à escravidão, quatro eram negros (Repórter Brasil via SIT). Trabalhadores e trabalhadoras da moda ainda não têm seus direitos fundamentais garantidos, estão com cada vez mais trabalhos informais e terceirizados, e com a pandemia suas condições tornaram-se mais precárias e fragmentadas. Ademais, a indústria da moda é uma das maiores poluidoras do mundo, impactando a biodiversidade, o solo, a água e a vida de comunidades.

1618501843936299 cottoncatwalk
(Foto: Divulgação)
1618503379997438 viscose
(Foto: Divulgação)

O Fashion Revolution reforça a necessidade de mudanças radicais para problemas radicais e isso requer uma revolução em nossa forma de pensar, consumir e produzir. Várias revoluções que foram a locomotiva da história tiveram como protagonistas trabalhadoras da indústria têxtil e da moda, e para isso precisamos colocar a classe trabalhadora em destaque. O modelo econômico vigente é baseado em uma lógica linear de superprodução, consumismo e descarte. Precisamos reconhecer e fomentar alternativas e outros modelos. Confira abaixo alguns destaques da programação:

Abertura da Semana Fashion Revolution

- 19/04 às 11 horas

Convidados: Nelsa Nespola, presidente da Justa Trama; Amanda Costa, ativista climática e Namastê Messerschmidt, educador e agrofloresteiro.

Mediação de Fernanda Simon, diretora executiva do Instituto Fashion Revolution Brasil.

Debate Ancestralidade e o Vestir na Moda Brasileira

- 21/04 às 20 horas

Os caminhos e desafios para resgatar a cultura ancestral dos povos originários e inseri-los no mundo da Moda.

Convidados: Carol Anchieta, Comunidade Kilombola Morada da Paz (CoMPaz), Day Molina e Cynthia Mariah.

Lançamento oficial do relatório Fios da Moda

- 22/04 às 19 horas

Perspectiva sistêmica para a circularidade.

Convidados: Marina Colerato (Modefica), Larissa Roviezzo (Regenerate Fashion), Juliana Picoli (FGVces), Melissa O de León (Regenerate Fashion), Yamê Reis (Rio Ethical Fashion) e Elô Artuso (Fashion Revolution).

Lançamento com pré venda do livro Revolução da Moda: Jornadas para Sustentabilidade

- 24/04 às 15 horas

O Fashion Revolution tem o prazer de apresentar seu primeiro livro, organizado por Eloisa Artuso e Fernanda Simon, conta com ensaios de mulheres que fazem parte da construção de um novo capítulo na História da moda brasileira, percebido através dos pilares da sustentabilidade, com seus desafios e êxitos.

Exposição Colaborativa de Cultura de Moda Brasileira

- 19/04 à 19/05

O objetivo é reunir obras com aspectos da cultura da moda brasileira nas perspectivas regionais a partir de olhares individuais, provocando uma percepção descolonizada e diversa.

Ocupação Design Ativista

A ocupação incentiva o público a produzir artes até 25/04 com as tags #quemfezminhasroupas #DesignAtivista (ou enviar para contatofr.brasil@gmail.com) para serem usadas durante a Semana. Essas artes estão disponíveis publicamente em uma pasta pública e poderão ser usadas de diversas formas, como posts, lambes e projeções.

 

Tags

moda-consciente
consumo-consciente
fashion-revolution

posts relacionados

posts recomendados