Cultura

Música remota: artistas gravam EPs durante o isolamento social

Conversamos com artistas de As Bahias e a Cozinha Mineira
Reading time 4 minutes
(Foto: Reprodução/Instagram)

Raquel Virginia, Assucena Assucena e Rafael Acerbi são os artistas que dão o tom de As Bahias e a Cozinha Mineira. Durante a pandemia, o grupo encarou o desafio de criar um EP com todos os percalços de uma gravação remota. “Enquanto estamos distantes” é o resultado e nós conversamos com eles para saber como foi o processo.

Revista L’Officiel - Como surgiu a ideia (ou motivação) para gravar um EP durante a quarentena?

Assucena - Surgiu de nossa inquietação por compreender nosso ofício nesses tempos difíceis. Não está sendo fácil estar ausente dos palcos, e de não poder sentir o calor de nosso público. Não está sendo fácil não poder sair e desenvolver nossos projetos olho no olho. Por isso, entendemos que teríamos que atravessar a barreira da distância com o bom uso da criatividade e da tecnologia.

 

Revista L’Officiel - O que podemos fazer de melhor enquanto estamos distantes?

Raquel - Tentar contribuir da melhor maneira para que este momento não seja ainda mais cruel. Nem com você e nem com os outros.

 

Rafael - Creio que por mais que estejamos distantes, nosso disco fala sobre justamente a importância do estar perto. Acho que a humanidade está passando por um processo muito profundo de reavaliações e análises sobre o que construímos até aqui - onde erramos e para onde iremos após a crise.

 

1592434209308242 screen shot 2020 06 17 at 6.48.00 pm
(Foto: Reprodução/Instagram)

Revista L’Officiel - Vocês acham que a música pode ser um grande sopro de esperança e paz para o momento?

Raquel - Acho que está muito explícito como a arte tem sido fundamental para nos dar alguma paz neste momento trágico.

 

Assucena - A música sempre foi, está sendo e será tal sopro. A arte, em geral, tem salvado a nossa sanidade e regado nossa esperança.

 

Rafael - Sim. Particularmente, a música pra mim é quase uma oração.A arte tem sido a maior aliada em relação à saúde mental de todos nós.

 

Revista L’Officiel - Como vocês acham que serão os shows e interação com o público após o isolamento social?

Raquel - Estaremos todos mais sensíveis. Tomara que seja um recomeço mais leve e menos insano. Acho que vamos estar todos ainda mais entregues à arte.

 

Assucena - Para mim ainda é turvo, mas vejo que será um processo de renascimento do valor do espaço público motivado entre o medo e a saudade.

1592434215920342 screen shot 2020 06 17 at 6.48.11 pm1592434216091585 screen shot 2020 06 17 at 6.48.17 pm
1592434216096794 screen shot 2020 06 17 at 6.48.23 pm
(Fotos: Reprodução/Instagram)

Revista L’Officiel - Como foi gravar com vocês separados, cada um em uma casa e longe do estúdio? 

Raquel - Foi bem difícil ficar recebendo resultados e não acompanhar o processo como um todo, que é algo que gostamos muito. Mas foi a única maneira que encontramos de continuar.

 

Assucena - Foi desafiador e instigante. Creio que criamos mais um motivo de estar juntos e atualizar as definições de abraço.

 

Rafael - Foi muito legal. Nós três já nos conhecemos há 10 anos. O fluxo e comunicação funciona bem. Eu gravava ideias e enviava para elas e assim fomos aprovando ou não os arranjos e demais ideias do disco.

1592434220926499 screen shot 2020 06 17 at 6.48.30 pm
(Foto: Reprodução/Instagram)
1592434422230585 capaenquantoestamosdistantes
(Foto: Divulgação)

Tags

musica

posts relacionados

posts recomendados