Wellness

Superfoods: Conheça 13 superalimentos para o seu bem-estar

Do campo ao prato, ingredientes funcionais, conhecidos como superalimentos, são elementos-chave na busca pelo corpo em equilíbrio

Antes apenas proteínas, carboidratos e gorduras apareciam nas conversas entre entusiastas da alimentação saudável. “A partir de novos olhares, ficou melhor compreendido o resultado do alimento dentro do organismo, e então os micronutrientes também foram mais valorizados”, diz Dra. Mariela Silveira, médica nutróloga do Kurotel – Centro Médico & Spa de Longevidade. 

 

Por esse viés, alimentos funcionais, ou superalimentos, começaram a ganhar atenção especial, por trazer benefícios para o organismo não só nas questões relacionadas aos nutrientes e calorias, conforme explica a médica nutróloga Dra. Liliane Oppermann: “O brasileiro vem percebendo que o alimento não é algo importante só na hora em que precisamos de energia. Por meio da alimentação, você pode prevenir doenças e amenizar sintomas”.

 

Tais superpoderes já são ressaltados no meio médico: “Todos os alimentos, na sua forma natural, têm componentes importantes que incorporam benefícios significativos para a saúde”, esclarece Dra. Mariela Silveira. Como diz a chef Patricia Helu (@patriciahelu), que ilustra as fotos desta matéria: “Alimentos funcionais, reais, sazonais, vivos e nutritivos são o segredo para levar uma vida mais leve, com saúde e disposição”.

ANTES VILÕES DA CALORIA, AGORA MOCINHOS:

ABACATE – Garantindo saciedade e controle de peso e prevenindo doenças cardiovasculares, é rico em  carotenoides com ação antioxidante, protegendo a pele dos danos solares.

 

AÇAÍ – Promove saciedade e tem ação cardioprotetora, e não provoca picos de insulina, como outros alimentos energéticos. 

 

OVO - Alimento fácil de adicionar ao dia a dia, é importante para manutenção de massa magra, memória e bom humor.

NA MODA E NA BOCA: 

AMARANTO - Rico em vitaminas, minerais, aminoácidos e fibras, pode reduzir a chance de diabetes, além de melhorar o controle do peso corporal. 

 

CACAU – Em seu estado puro, éum potente anti-inflamatório, prevenindo dermatites e doenças cardiovasculares.

 

CHIA – Com ácidos graxos poli-insaturados, ajuda a aumentar a saciedade e a proteger vasos e coração.

 

GOJI BERRY – Antioxidante potente, com boa quantidade de fibras solúveis e insolúveis, promove saciedade e ajuda no controle do peso corporal.

BÁSICOS E BONS: 

MAÇÃ – Rica em fibra solúvel, em especial a pectina, evita doenças crônicas degenerativas.

 

ÓLEO DE COCO – Com ácidos caprílico e láurico, é antibacteriano e antifúngico. Alguns estudos têm demonstrado a ação do ácido láurico no efeito termogênico e no controle do colesterol.

 

AVEIA – Multifuncional e rica em fibras solúveis, tem alto nível de evidência na redução de colesterol e resistência à insulina. 

 

INHAME – com baixo índice glicêmico e alto teor de fibras, ajuda a controlar o açúcar no sangue, além de assessorar o controle natural da produção hormonal.

PROBIÓTICOS:

Diminuir inflamações e aumentar a imunidade: essas são as principais bandeiras que levam pessoas a cultivar em casa colônias probióticas de kefir e kombucha, febre entre os amantes da gastronomia viva. Além disso, tanto as colônias de Kefir quanto as de Kombucha possuem a curiosa tradição de serem doadas e não vendidas, embora já seja possível identificar as iguarias nos menus de restaurantes e cafés com forte DNA natural.

 

KEFIR – “O kefir é um conjunto de microorganismos formado por lactobacilos e leveduras, que necessitam de um meio com carboidrato para se desenvolver. Pode ser feito no leite ou na água com açúcar”, explica Dra. Esthela Conde, especialista em longevidade e medicina preventiva. Aquele produzido com leite é tido como mais versátil, por ser consumido puro ou com sucos e vitaminas, além de ser transformado em manteiga, queijo e até servir como base para sobremesas.

 

KOMBUCHA – O fermentado de origem asiática é feito com chás ou infusões ricas em cafeína, e possui ótima ação digestiva, além de matar a vontade de um drink borbulhante durante as refeições sem o peso na consciência que um refrigerante tradicional dá. “É uma forma trivial de consumir esse alimento vivo e ainda permitir uma melhora no intestino”, diz a nutricionista Chris Castro.

posts relacionados

posts recomendados